Uncategorized

Nova página do site noahidebr.com

B”H

 

No mês de aniversário do site noahidebr.com, uma nova página, Graças a D’us.

 

Confira:

 

https://noahidebr.com/palavras-do-rebe-a-toda-a-humanidade-a-todos-os-nao-judeus-do-mundo/

 

 

Anúncios
Padrão
Uncategorized

Bnei Noach e o islamismo

Bnei Noach e o islamismo

 

Pergunta

Meu colega de trabalho que ainda se considera um muçulmano, confia a mim um monte de suas dúvidas sobre sua religião. Devo incentivá-lo a deixar o islã, ou não é necessário fazer isso?

 

Resposta

(Algumas considerações adicionais:

Maimônides, em Hilchot Melachim, As Leis dos Reis, capítulo 8, leis 10 e 11, e capítulo 10, lei 9, explica explicitamente:
‘Moisés foi ordenado pelo Todopoderoso a compelir todos os habitantes do mundo a aceitar as leis transmitidas aos descendentes de Noé. Qualquer pessoa que aceita o cumprimento destes Sete preceitos e é cuidadosa na sua observância, é considerada como um dos devotos entre os gentios. Isto se aplica somente quando ela os aceita e cumpre, porque o Santíssimo, abençoado Seja, ordenou-lhes isto na Torá e nos informou através de Moisés. Os gentios devem se dedicar somente ao estudo de suas Sete Categorias de Leis. Não se deve permitir dar origem a uma nova religião. Eles podem se tornar convertidos justos e aceitar todos os [613] mandamentos ou manter suas próprias categorias de leis sem diminuí-las ou sem criar novas leis para si mesmos baseados nas suas próprias decisões.’

(Em português, livro publicado pela Editora Maayanot, páginas 104, 105, 118.)

O Rav Yitzchak Ginsburgh, em Cabalá e Meditação para as Nações, também declara explicitamente:
“O Todopoderoso não aceita a criação de religiões.
Precisa estar absolutamente claro para todo não-judeu que quer se tornar um gentio justo (um devoto de D’us entre as nações), comprometido com as 7 Leis de Bnei Nôach, que ele não pode se definir como membro de nenhuma outra religião. Um gentio justo é completamente dedicado à autenticidade e veracidade da Torá, de modo que ele possa revelar o D’us de Israel (Hashém) ao mundo inteiro. Isto também significa reconhecer o povo judeu – Bnei Yisrael (Filhos de Israel) – como o povo escolhido de D’us e Sua nação de sacerdotes (Dt. 7:6; 14:2; Êx. 19:6).
A fim de seguir apropriadamente as 7 Leis de Bnei Nôach, aqueles que buscam se identificar como Filhos de Noé devem procurar aprender dos judeus a aplicação prática de todos estes mandamentos, visto que eles foram transmitidos através dos tempos por meio da tradição oral da Torá. Desta forma, eles poderão servir a D’us como ELE deseja.
Para cumprir apropriadamente suas 7 Leis, os Filhos de Noé devem estudar em detalhes estes mandamentos com um mentor qualificado, uma autoridade em Halachá (leis) – um Rabino Ortodoxo.
Bnei Nôach, por definição, renunciam a legitimidade Divina das religiões e servem somente ao D’us de Israel da maneira prescrita na Torá. Em nome de D’us chegou o momento de todas as nações do mundo abandonarem suas antigas crenças errôneas e reconhecerem o D’us Único de Israel e a veracidade de Sua Lei – a Torá. Esta é a única verdade absoluta.
Não-judeus não podem ser considerados gentios justos [ou sábios entre os gentios ou devotos de Hashém entre os gentios] se em seus corações eles não reconhecerem a autoridade da Torá e não sentirem afinidade com o povo escolhido de D’us (a quem a Torá identifica como tal).” (Gal Einai, páginas 139, 140, 153, 154, 157, 161, 166.)

Donny Fuchs explica:
“Para o gentio, os meios de cumprir a Vontade de D’us é aderindo às Sete [Categorias de] Leis de Nôach.
Bnei Nôach se preocupam apenas com a Torá e com o único caminho de inter-relação que D’us lhes deu.
Ao contrário do que muitos judeus equivocados acreditam e do que tragicamente muitos rabinos divulgam como um axioma judaico, NÃO é certo os gentios adorarem como lhes pareça conveniente. Os gentios têm o seu próprio pacto com D’us: O Pacto de Nôach, manifestado por meio das Sete [Categorias de] Leis de Nôach. Os gentios não foram abandonados por D’us. Eles têm a oportunidade e, de fato, a obrigação de descobrir a Verdade e de viver suas vidas de acordo com os princípios que lhes são exigidos.
De acordo com Maimônides, o islã não é um caminho aceitável para os gentios que são obrigados a aceitar a soberania do Único e Verdadeiro D’us no contexto das 7 Categorias de Leis de Nôach. O islã é uma religião falsa com um falso profeta, um “monoteísmo” pagão, que rejeita o pacto judaico eterno com o Todopoderoso e que adere a uma completa distorção da história judaica e a uma rejeição do texto massorético como um texto manipulado [pelos judeus].
É uma distorção da Halachá dizer que o cristianismo ou o islamismo é bom para os gentios.”

Fim das considerações adicionais.)

 

O Rav Yirmiyohu Kaganoff responde a pergunta, explicando:
“Sem dúvida, observar o islã é um pecado gravíssimo, até mesmo para um gentio, apesar do fato de não haver qualquer idolatria envolvida. Hashém (D’us) deu instruções muito específicas de como ELE quer que a humanidade O adore*, e qualquer outra tentativa é proibida. Portanto, se o seu colega de trabalho está lhe pedindo direção na vida dele, você deve explicar-lhe as falácias do islã e como ele poderia efetivamente cumprir os desejos de Hashém por se tornar um verdadeiro ben Nôach (filho de Noé).”

 

* Estas instruções Divinas são conhecidas ou chamadas: Shéva Mitsvót Hashém leBnei Nôach (As Sete [Categorias de] Leis dadas por Hashem {D’us} aos Filhos {Descendentes} de Nôach {Noé}).

Por Rav Yirmiyohu Kaganoff

© Rav Yirmiyohu Kaganoff

 

Traduzido do inglês por Noahidebr

 

© 2015-2018 Noahidebr

 

Veja também:

https://noahidebr.com/palavras-do-rebe-a-toda-a-humanidade-a-todos-os-nao-judeus-do-mundo/

 

Sobre distribuir os nossos artigos, veja

https://noahidebr.com/copyright/

Padrão